O que é Medicina Integrativa?

MEDICINA INTEGRATIVA - O QUE É?


O conceito de Medicina Integrativa é baseado em um movimento iniciado na década de 1970 nos Estado Unidos, no qual a abordagem das doenças busca um sentido mais amplo de cura, que visa tratar a pessoa em seu todo: corpo, mente e espírito. O médico que trabalha com práticas integrativas combina tratamentos convencionais com terapias complementares, cuja a segurança e eficácia tenham sido cientificamente comprovadas, e prioriza uma relação médico-paciente aberta e de confiança. Considera-se o uso de métodos terapêuticos naturais, efetivos e não invasivos sempre que possível, existindo uma parceria entre o paciente e o médico no processo de cura.

A Medicina Integrativa vem ganhando, a passos largos, espaço no mundo moderno. O homem do século XXI tem apresentado cada vez mais dificuldade em manter a saúde, visto que está cercado de maus hábitos alimentares e de sono, fatores indutores de estresse, falta de tempo para o auto-cuidado, lazer, atividade física e para a prática de crenças.

Para quem nunca ouviu falar no conceito, pode parecer algo “místico”, “holístico” ou sem fundamento. No entanto, a medicina integrativa é ciência bem estabelecida e trabalha baseada em fatos científicos comprovados. Hoje, existem mais de 40 universidades americanas e inúmeras da Europa que estudam e utilizam este tipo de abordagem, que traz uma visão mais integral do indivíduo. Nesta relação se apresentam associados de peso como a Mayo Clinic, Harvard e a Escola de Medicina da Universidade Johns Hopkins. O National Institutes of Health americano, órgão semelhante ao Ministério da Saúde do Brasil define a Medicina Integrativa ou Funcional como a junção entre a medicina ocidental convencional e a medicina “complementar”: Acupuntura, Medicina Chinesa, Ayurveda, Homeopatia, Naturopatia (uso de ervas, vitaminas e minerais e probióticos). Aqui no Brasil já existe a primeira pós graduação lato sensu na área, disponibilizada pelo Hospital Albert Einstein.

Vale destacar que, ao lado do médico, sempre está presente uma boa equipe multidisciplinar, incluindo nutricionistas, psicólogos, terapeutas, nutricionistas, enfermeiras e dentistas. O objetivo final do profissional integrativo é oferecer uma assistência com informação e terapias que vão além da medicina convencional, promovendo SAÚDE na forma mais pura da palavra.

Bom senso e humildade são fundamentais quando assunto é saúde. Nós utilizamos todos as abordagens existentes a favor dos nossos pacientes, independentemente se isso associará antibióticos com fitoterápicos, quimioterapia com mudanças na alimentação ou analgésicos com uma boa meditação. O importante, de fato, é jamais substituir um tratamento convencional bem estabelecido por outro sem a mesma eficácia e comprovação. Nem tudo está indicado para todos e a individualização do paciente faz parte do tratamento.